Caminhos da Impressão

Caminhos da Impressão

Um dos maiores nomes da gravura brasileira expõe sua produção realizada ao longo de 40 anos de carreira, na Referência Galeria de Arte

No mês em que Brasília completa 55 anos, no dia 29 de abril, das 18h às 22h, a Referência Galeria de Arte inaugura a mostra Caminhos da impressão – Uma jornada pelo universo de Lêda Watson, que apresenta ao público um recorte da obra de uma das mais importantes e premiadas gravuristas brasileiras. Com trabalhos de variados tamanhos, técnicas e fases que datam do início da década de 1970 até a sua mais recente produção, a mostra revela uma artista que dedica a sua vida ao fazer artístico, sem fazer concessões a estilos nem a modismos, mas sempre aberta às novas formas de trabalhar com a impressão em chapa de metal. A mostra fica em cartaz até o dia 30 de maio, com visitação aberta ao público, de segunda a sábado, exceto feriados, das 12h às 19h. A Referência Galeria de Arte fica na 205 Norte, bloco A, loja 9, Brasília – DF. Telefone: (61) 3361-3501 e (61) 8162-3111.

Os 24 trabalhos que compõem a exposição mostram as diversas fases que levaram a artista a explorar temas, como o relacionamento amoroso, as cidades por onde passou, a natureza e a política. Assim surgiram as séries Paris, Emoções, Sensualidade, Momentos e Cerrado. A relação com Brasília e o Cerrado são algumas das temáticas mais presentes em sua obra. Em Emoções, por exemplo, a artista trata da dualidade do outro, das transformações que os relacionamentos sofrem ao longo da vida. Em Momentos, a busca por capturar os segundos fugidios de imagens criadas durante o pôr do sol em Brasília. Sensualidade é um manifesto ao ser humano desconhecido que surge do inesperado e surpreende de forma arrebatadora.

“Se alguém quiser saber da minha vida e me conhecer em profundidade, basta olhar para a minha produção. Está tudo lá”, afirma Lêda Watson. Em seus mais de 40 anos interruptos de trabalho, Lêda produziu inúmeras obras e criou técnicas próprias, derivadas da arte milenar da gravação em metal. Nos últimos anos, a artista tem se dedicado a uma nova proposta de trabalho. Na mostra em cartaz na Referência Galeria de Arte, o público poderá conhecer “O vôo da liberdade”, obra que reúne a técnica da gravura em metal com a de colagem. Além de realizar as gravuras em seu atelier, revisita com bastante frequência seus arquivos de impressões para recriar as imagens e transformá-las em algo totalmente novo. “Trabalho com as Provas de Estado (PE), que faço a cada etapa de impressão que finalizo. Então, desconstruo a gravura, que ao invés de ganhar uma nova camada de imagem e tinta, é recortada e reunida a outras gravuras em um contexto diferente, criando novas camadas de significado, como espaço e tempo”, completa.

Os trabalhos mais recentes de Lêda Watson alcançaram níveis muito elevados de domínio da técnica da gravura, que a gravurista utiliza como suporte para traduzir e, como ela mesma diz, “botar tudo pra fora”. Um processo de fluxo de consciência que logo atinge o nível racional ao receber camada após camada de interferências e sobreposições. As imagens ganham significações que extrapolam o entorno da artista e passam a tratar de temas universais. “Quando achamos que Lêda atingiu o ápice de sua capacidade criativa e produtiva, ela surge com algo totalmente novo e surpreendente, resultado de sua constante atividade no atelier”, afirma Onice Moraes, marchand e proprietária da Referência Galeria de Arte. Para celebrar o momento, uma parte da produção da artista foi adquirida para o acervo da Referência, que conta obras outros artistas, como Carlos Vergara, Iole de Freitas, Emmanuel Nassar, Francisco Galeno, Paulo Whitaker, Marcelo Solá, Gê Orthof, Ralph Gehre, Virgílio Neto, Alex Cerveny, Alex Flemming, Athos Bulcão, Luiz Mauro, Pitágoras, Luiz Hermano, Shirley Paes Leme, Miguel Simão, Arnaldo Bataglini, Ana Michaelis, Elder Rocha, Marcelo Feijó, Sílvio Zamboni, André Santangelo e David Almeida.

O gravador Lívio Abramo afirmou em 1981 que “como todo artista criador, Lêda Watson condensa e sintetiza as imagens do mundo exterior assim como aquelas do mundo interior numa imaginária e em signos simbólicos que realiza plasticamente na gravura de maneira muito subjetiva, mas sempre rica em soluções formais”. E conclui, ressaltando que, “baseando-se numa suposta ou imaginária realidade e “desrealizando-a” ao mesmo tempo, Lêda Watson nos dá uma das novas faces da moderna gravura brasileira…”

Sobre as influência da vida na capital federal, em 2008, Sérgio Paulo Rouanet escreveu que a obra de Lêda “É uma arte orgânica, vegetal, através da qual perpassam, sobre um fundo policrômico, figuras fugidias, em que julgamos adivinhar úteros, fetos, cordões umbilicais. Que a arte de Lêda seria uma interiorização metafísica dessa flora é apenas uma hipótese. Mas que há uma constante inquietação filosófica em sua obra não é uma hipótese, mas um fato, que transparece nos títulos de suas gravuras”.

Gravura na prática

Como parte da mostra, Lêda Watson ministrará no dia 9 de maio, sábado, das 17h às 19h, um workshop de impressão utilizando a técnica de ponta seca. “É importante passarmos adiante aquilo que aprendemos e criamos para que esse conhecimento não se perca e novos conhecimentos possam surgir”, completa Lêda, que há 30 anos dá aulas de gravura em seu atelier. A participação no workshop é gratuita, mas as vagas são limitadas a 10 pessoas. Ao final do workshop, os participantes poderão levar sua produção para casa. As inscrições podem ser feitas pelo e-mail referenciagaleria@gmail.com ou pelo telefone (61) 3361-3501.

Sobre a artista

Graduada em Artes Plásticas no Rio de Janeiro (Escola Nacional de Belas Artes), em Paris (École Nationale de Beaux Arts – Sorbonne) e Brasília (UnB), Lêda Watson especializou-se em gravura em metal no Rio de Janeiro (Escolinha de Arte do Brasil – Orlando Dasilva) e, por mais três anos e meio, estudou no atelier do gravador Johnny Friedlaender (Paris). Seus primeiros trabalhos foram publicados na França e hoje são representadas na coleção de gravuras da Bibliothéque Nationale de Paris. Morando em Brasília desde meados da década de 1970, criou sua Escola de Gravura, no próprio atelier, onde se empenhou na formação de novos gravadores durante mais de 12 anos (1975 a 1987). Criou, então, o 1º Núcleo de Gravadores de Brasília e, posteriormente, o Clube da Gravura (1989). Em 1985, criou o 1º Museu de Arte de Brasília e, por seis anos, foi a coordenadora de museus da Secretaria de Cultura do Governo do Distrito Federal. Em 1995, aposentou-se como professora, o que permitiu dedicar-se inteiramente a sua arte.

Serviço
Caminhos da impressão
Uma jornada pelo universo de Lêda Watson
Mostra de Gravuras
Abertura: 29 de abril, das 18h às 22h
Visitação: até 30 de maio
De segunda a sábado, das 12h às 19h
Exceto feriados
Entrada gratuita
Livre para todos os públicos

Workshop de gravação com Lêda Watson
Quando: 9 de maio, sábado
Horário: Das 17h às 19h
Inscrições gratuitas:
Por e-mail referenciagaleria@gmail.com
Por telefone (61) 3361-3501
Vagas: 10 (dez)

Local: Referência Galeria de Arte CLN 205, bloco A, loja 9 – Asa Norte – Brasília – DF
Telefone: (61) 3361-3501 e (61) 8162-3111

Informações para a imprensa:
Assessoria de Imprensa: Agenda KB Comunicação
Contato: Luiz Alberto Osório
E-mail: luiz.alberto@agendakb.com.br
Telefones: (61) 3344-0143 / (61) 8116-4833