Habitar o Limite

Habitar o Limite

Na próxima terça-feira, 14 de agosto, a partir das 17h, a Referência Galeria de Arte inaugura duas mostras individuais de dois importantes nomes das artes plásticas no Brasil. Na Galeria 1, Habitar o limite, de Adriana Rocha, e na Galeria 2, Grite o quanto quiser, ninguém poderá ouvi-lo, de Ralph Gehre, que volta a expor após um hiato de seis anos. O laço entre as duas exposições está no incompreendido, naquilo que não é entendido, desde uma relação humana até o que dizem as palavras e as imagens. As obras ficam em exposição até 9 de setembro, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e domingos e feriados, das 14h às 20h.

A marchand e proprietária da Referência Galeria de Arte, Onice Moraes, comemora a realização simultânea das duas exposições. “Fazemos questão de receber artistas não apenas da cidade, para os quais dedicamos um grande espaço em nossa agenda e acervo, mas também para os artistas de fora”, diz a marchand. Para Onice, o intercâmbio de informações entre os artistas e também com o público é o que mais atrai os brasilienses. Depois de ficar seis anos sem expor, Ralph Gehre chega com uma série de trabalhos novos, o que é uma oportunidade única para os fãs das artes plásticas e para o público mais jovem, que nunca havia visto alguma de suas exposições. Adriana Rocha tem um trabalho muito peculiar ao trabalhar fotografia com técnicas de pintura que levou dois anos para ficar pronto. Adriana Rocha e Ralph Gehre são representados pela Referência Galeria de Arte.

Galeria 1

Adriana Rocha – Habitar o limite
Adriana tem como ponto de partida os espaços vazios, os limites, as impossibilidades, tudo aquilo que é um quase, mas não é certeza nas relações humanas. Adriana pintou o limite, as distâncias marcadas por fixações definidas. Em sua obra, a artista passa as indagações que tem quanto aos freios domesticados por hábitos, ou por imposições, em diversas situações do cotidiano. “Pintei aquela borda, aquela beira onde se está em contato com o outro, que nos é desconhecido. Os espaços vazios para mim são essas fronteiras. Como artista, sinto que devo abraça-las”, explica Adriana. A série reúne nove pinturas e quatro desenhos, trabalhados por quase dois anos pela artista plástica, a partir de indagações e problemas do cotidiano, que a fez pensar não em respostas, mas em outros caminhos. “Foi a tentativa de elaborar, pensar sobre essa questão com os meios que nos são próprios. Nunca com a intenção de oferecer respostas, mas novas e melhores indagações”, completa.

Sobre Adriana Rocha

Nascida em 1959, a artista plástica Adriana Rocha é formada no curso de Licenciatura Plena em Artes Plásticas, na FAAP. Por mais de 15 anos, Adriana exerceu atividades em ilustração editorial, junto à Editora Cidade Nova, assim como vários projetos gráficos para teatro. Hoje, a paulistana dedica-se ao trabalho em seu ateliê, com diversas técnicas, como plotagens sobre adesivo, impressões e pinturas, além de dar cursos temporários. Adriana já expôs seus trabalhos na Pan American Art Projects, em Dallas, EUA, em 2007, entre outros.

Galeria 2

Ralph Gehre – Grite o quanto quiser, ninguém poderá ouvi-lo

Em diversas técnicas, que vão de gravuras, a fotografias, o artista retrata o incompreendido, aquilo que não entendemos nem nas palavras, nem nas imagens. Gritar é irrelevante e ser ouvido não acarretará a transformação pretendida. Daí o aforismo: grite o quanto quiser, ninguém poderá ouvi-lo. Refere-se à prevalência da construção. Aquilo que percebemos não é apenas aquilo que nos foi transmitido. Acrescenta-se sempre um novo conteúdo, determinado pela intermediação. “A leitura exige tempo, há necessidade de dedicar um tempo ao olhar. Só o tempo dedicado a frente de uma obra pode fazer com que ela seja compreendida e é exatamente isso que está exposto em minha série”, detalha o artista. Assim, Ralph propõe em sua exposição um exercício: escolher alguém e repetir em seu ouvido “tenho algo para lhe contar”. São 52 obras, sendo 42 expostas em série na Galeria 2 da Referência e 10 que ficarão no acervo.

Sobre Ralph Gehre

Nascido no Mato Grosso do Sul em 1952, Ralph Gehre chegou a Brasília no início de 1962, iniciando aqui sua carreira de artista plástico em 1980, com individual na Galeria B da Fundação Cultural do DF, hoje denominado Espaço Cultural 508. Tem por formação os cursos de Desenho e Plástica e Arquitetura e Urbanismo, ambos cursados na UnB, no período entre 1972 e 1980. Utiliza diversas mídias gráficas, além da pintura e da fotografia, mas considera o desenho base de trabalho, tratando de questões relativas à construção do processo de leitura, situando sua pesquisa na relação entre a imagem e a palavra.

Sobre a Referência Galeria de Arte

Fundada em 1995 pela marchand Onice Moraes, a Referência Galeria de Arte ocupa hoje um espaço especial no mercado de arte no País. O acervo com mais de 2 mil obras de 42 artistas reúne importantes nomes das artes plásticas produzidos nos últimos 50 anos. Em março deste ano, a Referência deu um salto e inaugurou sua nova galeria na área central do CasaPark (Brasília), em um espaço de 400m², distribuídos em 2 andares. A área três vezes maior que a antiga galeria, foi pensada para receber obras de variados tamanhos, mídias e suportes. A Galeria 1, no Piso Térreo, tem o pé direito de 4,80m e paredes amplas que permitem expor mais obras de arte, telas, esculturas e instalações, sem limitações de formato. No outro andar, o amplo salão da Galeria 2 reúne área expositiva, espaço para palestras e workshops, café e biblioteca além de concentrar todo o acervo da galeria com mostradores no padrão museológico. Os clientes poderão conhecer e examinar com mais conforto as obras de artistas consagrados e os trabalhos dos novos expoentes, frequentemente, incorporados ao acervo da Galeria. A Galeria 2 permite o acesso direto dos visitantes pois suas portas se abrem na pista de estacionamento da garagem.

Conheça o acervo da Referência Galeria de Arte, acesse o site www.referenciagaleria.com.br.

Serviço
Referência Galeria de Arte
Mostras individuais de

Adriana Rocha
Habitar o Limite
Galeria 1

Ralph Gehre
Grite o quanto quiser, ninguém poderá ouvi-lo
Galeria 2
Abertura
14 de agosto, das 17h às 21h.
Em exposição
De15 de agosto a 9 de setembro
Segunda a sábado, das 10h às 22h.
Domingos e feriados, das 14h às 20h.

Endereço: CasaPark, loja 141 – Brasília – DF
Telefone: (61) 3361-3501