Passeio Selvagem

Passeio Selvagem

Artista visual apresenta na Referência Galeria de Arte sua mais recente produção em objetos escultóricos, fotografia, pintura e desenho

No próximo dia 19 de setembro, sábado, às 17h, a Referência Galeria de Arte inaugura a mostra Passeio Selvagem, de Raquel Nava. Com curadoria de Graça Ramos, a exposição apresenta ao público a mais recente produção da artista visual. São objetos escultóricos, pinturas, fotografias e desenhos que põem em relevo uma abordagem do fazer artístico que situa a obra para além das fronteiras da cena de criação. A mostra fica em cartaz até o dia 17 de outubro, com visitação aberta ao público de segunda a sexta, das 12h às 19h, e sábados, das 12h às 17h. A entrada é gratuita e livre para todos os públicos. A Referência Galeria de Arte fica na 205 Norte, Bloco A, Loja 9, Brasília-DF. Telefone: (61) 3361-3501 e (61) 8162-3111.

A arte como experimento, a pesquisa sobre como os materiais se comportam sozinhos ou juntos a outros elementos levam a resultados plásticos únicos. O conjunto de obras apresentado em “Passeio Selvagem” é formado por dois dípticos em acrílico e colagem sobre tela, cada um medindo 1,10m X 1,80m, quatro desenhos em pastel oleoso sobre papel, de 80cm X 80cm e 70cm X 70 cm, quatro objetos feitos com materiais orgânicos e metálicos diversos, como cuias de chimarrão, e seis fotografias impressas em metacrilato. Raquel Nava convida o expectador a uma viagem por territórios pouco explorados e se distancia do que muitos convencionam como inerente à expressão artística: Chocar o expectador. A curadora da mostra, Graça Ramos, afirma que na tentativa de extrair emoções a partir de materiais e objetos transfigurados, Raquel busca provocar reflexões sobre a responsabilidade do artista.

O alumínio, utilizado como cor ou matéria, está presente em quase todos os trabalhos desta exposição, continuação da pesquisa iniciada com a série “A Natureza Ama Esconder-se”, onde a artista procurou objetos que utilizam partes de animais. Assim, surgem os totens de recipientes de chimarrão, que remetem às formas das esculturas de Brancusi. A base das esculturas são feitas de um chimarrão com a forma de uma pata de vaca, cada uma de uma cor diferente. “Este trabalho foi realizado durante um período de residência artística em Buenos Aires em que também busquei trabalhar com um objeto simbólico da cultura local”, informa Raquel Nava. Na série de fotografias também aparecem mãos ou patas de distintos animais que dialogam com os objetos e interagem com o papel alumínio, também utilizado como colagem nas pinturas e nos desenhos.

Nos objetos e nas fotografias, composições cromáticas transformam o rude em estético. Nas pinturas, pigmento feito de cochinilhas, um inseto minúsculo do qual se extrai o carmim, dá o tom para um rosa suave aliado às colagens com papel alumínio e à tinta acrílica. Nos desenhos, o pastel a óleo sobre papel de embrulho usado antigamente em açougues serve de suporte para organizar composições feitas com traços soltos e orgânicos. “Raquel retorna a uma expressão inicial de pintura e desenho, onde ela se solta e se permite explorar livremente os limites de sua criação”, completa a curadora.

Aos 34 anos, a brasiliense Raquel Nava é formada em Artes Visuais pela Universidade de Brasília (UnB), mestre em Poéticas Contemporâneas (UnB) e foi aluna da Faculdade de Filosofia e Letras na Universidade de Buenos Aires/UBA. Desde 2004, expõe com regularidade em mostras coletivas e individuais no Brasil, na Argentina, Alemanha, Bélgica, França e Estados Unidos. Seus trabalhos fazem parte do acervo de importantes coleções privadas e de instituições, como Centro Cultural, Universidade Federal de Goiás (UFG), Museu Nacional da República, Brasília, e Boghossian Foundation, Bruxelas (Bélgica).

Referência Galeria de Arte

Fundada há 20 anos pela marchand Onice Moraes, a Referência Galeria de Arte é responsável por representar e comercializar os trabalhos de artistas de Brasília e do país, como Francisco Galeno, Ralph Gehre, Gê Ortohf, Virgílio Neto, André Santangelo, Carlos Vergara, Paulo Whitaker, Pitágoras, Marcelo Solá, entre outros. A galeria realiza projetos especiais em parceria com centros culturais como o CCBB-Brasília, o Museu Nacional dos Correios, o Museu Nacional da República e a Caixa Cultural. São exposições, temporárias e permanentes, que buscam levar ao público a mais recente produção dos artistas que representa. Em 2014, a galeria passou a ocupar um novo endereço. Na Asa Norte, um dos bairros de vida cultural mais efervescente da capital federal e reduto de inúmeros ateliers e galerias, Onice e seu sócio Paulo Oliveira deram início a uma nova etapa na história da Referência. Foi criado o projeto Conversa – um diálogo entre trabalhos de diferentes artistas postos frente a frente – e ganharam espaço as visitas guiadas e as desvernissages. Abertos ao público, eles ajudam na aproximação e conhecimento da obra do artista. Em 2015, realizou as mostras Sobre habitar o invisível, de David Almeida, Conversa, João Teófilo e Virgílio Neto, Caminhos da impressão – uma jornada pelo universo de Lêda Watson, Coisas impossíveis são possíveis, de Ralph Gehre, e Paisagem desgarrada, de André Santangelo. Em abril, a Referência participou da 11ª edição da SP-Arte e, agora, participa da ArtRIO, que acontece de 9 a 13 de setembro.

Serviço
Passeio Selvagem
De Raquel Nava
Curadoria: Graça Ramos
Pinturas, objetos, fotografias e desenhos
Abertura: 19 de setembro, das 17h às 21h
Visitação: até 17 de outubro
De segunda a sexta, das 12h às 19h
Sábado, das 12h às 17h
Local: Referência Galeria de Arte – CLN 205, bloco A, loja 9 – Asa Norte – Brasília – DF
Telefone: (61) 3361-3501 e (61) 8162-3111
Entrada gratuita e livre para todos os públicos